quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Uma festa e pouca grana

Olá, Esbeldades!!!

Hoje venho compartilhar com vocês um momento de grande satisfação e angústia.

A satisfação é porque vou fazer aniversário - e eu adoro aniversários! rs  

Sem dúvida, já fui bem mais festeira e agregadora. Meus amigos chamavam a minha antiga casa de Centro Recreativo da Tia Mari, ou algo do tipo. rs Quando combinávamos algum comes-e-bebes, o endereço era certo: o meu quintal! 

Nunca vi isso como mais trabalho para mim porque eu e meus amigos éramos todos desencanados: os meninos compravam gelo e punham bebida no isopor. As meninas traziam as comidas. A gente colocava tudo em uma mesa no quintal, junto com o isopor, e lá se iam horas de conversa fiada, cantorias acompanhadas de violão e uns eventuais porres dos mais ousados. hahahahah 

Não tinha aquele papo de alguém ficar para lá e para cá servindo convidados ou esquentando a barriga no fogão. Na época eu também tinha faxineira, então a casa ficava sempre em condições de receber visitas; ah, e para consagrar a minha casa como o "Centro Recreativo", de fato, eu era a única que morava sozinha. Êta, época boa!

Mesmo com todo o apoio dos meus convidados, eu arriscava contratar buffets em alguns eventos. Foram anos de correria para bancar a hostess e a garçonete das festas da minha filha, até que concluí que era mais negócio contratar um serviço especializado ao invés de me matar antes, durante e depois da festa juntamente com meus familiares mais próximos. 


Comecei com esse negócio de buffet nas festinhas da minha filha, foram poucas assim,  umas 2 ou 3 porque essa brincadeira sai cara. Depois, que ela ficou maior e o número de convidados diminuiu, eu voltei a encabeçar o evento. 

Em alguns aniversários meus, eu mesma organizei e preparei tudo; em outros, eu estava tão enrolada que pedia para os amigos trazerem comida e bebida para celebrar meu niver (porque amigo de verdade não tem dessas, o lance é o encontro! rs #somosdesses). 
Mas daí, antes de casar,  houve um aniversário meu em que contratei um rodízio de petiscos. Eu meio que queria "coroar" esse evento (que seria dispendioso) como uma espécie de despedida de toda aquela vida de festas, agito e badalação... hehehehehe Depois dessa festinha nos meus 26 anos, só veria a galera no meu casamento, praticamente. 

Olhando as fotos hoje em dia, vejo que a decoração estava super simples, até brega, eu diria: 







Esses panos e essas flores artificiais não me convencem hoje em dia, especialmente depois de ter sido noiva e ter olhado tantos blogs de decoração para festas. 

Mas na época, eu não ligava para nada disso. Na verdade, eu cheguei ao buffet por indicação na qualidade da comida - que até então era só o que me importava. Se tivessem posto capim para decorar a festa, eu estaria de boa. 

Eu não lembro o nome do buffet e não comi absolutamente NADA na festa (pode isso?) porque estava muito ocupada dançando e recebendo meus convidados. Foi muito divertido.  Mas justiça seja feita: apesar da decoração duvidosa, eu tive pelo menos uns 3 convidados pegando o telefone do buffet comigo depois e quase todo mundo saiu elogiando o serviço que, segundo meus amigos, foi um sucesso! Bingo!

Minha festa foi dez  não só pela comida mas também pela trilha sonora: o marido de uma amiga minha que adora discotecar se ofereceu para ser o DJ da festa e ele bombou: DJ James Bond!!!! hahahaha


Minha MEGAMIGA Aninha que emprestou o Jaime para gente!!! 



E aqui, eu junto do casal 20:


Nesse ano da festa, o Carnaval caiu próximo ao meu aniversário, por isso, os looks e decoração coloridos.  

 (Sim, teve fumaça na discoteca!!!! O serviço foi completo!!! hehehehe)


Até a terceira idade sacudiu o esqueleto: 



Meu pai estava ensopado de tanto dançar kkkkkkkkk:



Eu e o então namorado dançamos até valsa para ensaiar para o casamento... hihihihih






A intenção da festa era a de me despedir desse agito que eu tanto curtia: casa cheia, comida boa e clima maneiro.  E acabou que a intenção concretizou-se mesmo:

Não sei se é a idade que chega, se é o jeito reservado do meu marido que me contaminou, se são a vida e a distância geográfica que afastaram os amigos, se meus conceitos de diversão mudaram ou se meus gostos se refinaram de tal modo que é caro bancá-los para um evento maior. Acho que é um pouco de tudo isso junto. 

O fato é que estou na intenção de celebrar meu aniversário em casa, mas de um jeito diferente: desta vez, pretendo chamar um número pequeno de convidados - 15 - mas com a contratação de um buffet. "Por quê um buffet para um número pequeno como esse?", você deve estar se perguntando. Aqui vai a resposta: "Porque sempre que rola algum evento aqui em casa, meus pais e meu marido, por exemplo, me ajudam no corre-corre de servir, receber convidados e controlar gelo. Eu não quero que o mesmo se repita nesse aniversário. Portanto, vou nos dar esse luxo - nós merecemos! 

Assim, meu aniversário de  ~30 anos~ será diferente porque vou fazer um evento minúsculo, que contará basicamente com a minha família mais próxima. Eu nunca fui tão low-profile assim! Eu mesma nem acredito.... 

Claro que minha família é maior que 15 pessoas e conto mais que 15 convidados em um piscar de olhos; porém,  como moro longe e minha casa estará cheia, não posso sair convidando pessoas sem ter onde acomodá-las no fim da festa. Ademais, o preço do buffet é o valor de buffet de casamento, se eu esticar a lista ficará muito mais caro do que eu havia previsto... O mesmo para os amigos, agora todos casados, com filhos enfim... A eterna agonia das listas de casamento até quando não estamos casando!

Considerando-se isso que falei acima, é que vem a parte da angústia:

É sempre desolador querer celebrar com qualidade e pouca grana. E é assim que tenho passado meus dias: tentando arranjar critérios para convidar um e desconvidar o outro.  O meu quantitativo está fechado: 15; a lista é que ainda segue em aberto até eu decidir quem será convidado.

Alguma ideia de possíveis critérios para me ajudar a fechar essa lista? 

Help me, please!!


Beeeeeeeeeeeeijo

4 comentários:

  1. Pode me chamar que eu levo a minha comida, minha filha só bebe leite do peito. Então basicamente você só tem que arrumar comida para seu irmão que come pela família toda! kkkkk
    Beijos, Adria :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que eu não vou convidar o meu irmão... kkkkkkkk :p

      Excluir
  2. Saudações Mariana! Eu sou a rainha da festa boa com orçamento baixo! Eu mesma faço meus docinhos festivos, meu bolo e a decoração! Com um saco de 5kg de leite codesnado eu fiz quase 700 docinhos mais recheio e cobertura de um bolo de quase 7kg. Eu AMO BEXIGAS então eu fiz um ardo de bexiga. Aluguei mesa e cadeiras da Conti por ser vermelho... tudo na minha festa era vermelho: balão, cadeira, pratos, garfinhos, guardanapos, rsrsrs.... os salgados eu tb economizo muito com coisas coletivas feito empadão, sanduiche gelado (tipo um bolo salgado de pão), maionese. Geralmente eu faço almoço, então compro carninhas e faço pão de alho.... compro bebidas direto no distrbuidor e pronto.... rola o som, piscina, comida e muuuuuito papo..... Outro dia aluguei um videoke aiiiii a coisa largou as risadas! Eu tb amo comemorar meu aniversário!!!! Ja viu que eu fiquei toda empolgada né?
    Rsrsrs Beijos e abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, vc é das minhas!!! :) Eu costumo fazer essas coisas que vc falou: comprar bebidas em depósito e fazer esses pratos coletivos: empadão, quibe de forno e tal. Mas esse ano eu não quero ter esse trabalho. Quero algo mais fino e ryko, está me entendendo? rs Quero papo para o ar e garçons para servir meus entes queridos. Para o lanche com a familia do Rio, no outro fds, com certeza vou seguir por essa linha; mas no meu dia mesmo - só sombra e água fresca.

      Excluir

Deixe aqui seu comentário