segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O GRAMOUR da maternidade

Olá, mulherada!!!

Como vocês estão? As aulas começaram com força total agora. A semana antes do Carnaval acabou sendo mais uma adaptação para minha filha e a partir desta semana suponho que seja à vera. Durante a rotina do dia de hoje fiquei pensando no todo que envolve a maternidade...


Desculpem-me as mães e as futuras mamães, porém, eu vou alertá-las sobre algumas ideias românticas acerca da maternidade.

Sabe aqueles comerciais de dia das mães com bebês fofinhos e mães limpas e lindas de cabelos esvoaçantes? Improvável, minhas queridas. O bebê certamente estará fofinho, mas as chances de você estar arrumada com cabelos tratados e sem nenhuma manchinha de baba ou golfada na camisa são quase zero.

Aquele encantamento todo é ficção científica, meninas. Não se deixem enganar!

Ser mãe é acordar às 6h, zonza e descabelada, para colocar café da manhã cedo a fim de que seu filho tenha fome às dez e pouco da manhã (caso tenha de sair muito cedo de casa) quando na verdade você almoça ao meio-dia e poderia estar na cama até às 8h. Aquela alegria toda de comercial de margarina o pode ser às 6 da manhã, vamos combinar...

Ser mãe é mandar 50.000 vezes durante o dia a prole calçar o chinelo. Confia em mim. Isso não é legal. Ir para praia é legal!  Repetir a mesma coisa dezenas de vezes é desgastante, com licença! 

Ser mãe é ser a chata que insiste (leia-se, obriga) que o filho coma comidas/ frutas diferentes. E para que isso aconteça, é necessária a III Guerra Mundial na casa. De novo, isso NÃO é bacana, cara. Você podia dar salada de tomate todo dia, não? Seu filho fica feliz, você fica feliz (ele já não tá comendo a porra da salada??) e a paz imperaria na casa, certo? Não. Porque você é a chata que insiste em variar tomates, cenoura, berinjela, abobrinhas...

Ser mãe é querer voltar a dançar e ter que desistir porque a sua filha também tem o mesmo desejo e não dá para bancar tudo. 

Ser mãe é colocar de castigo quando vai doer mais na gente que nas crianças mesmo.

Ser mãe é se disponibilizar a receber coleguinhas em casa e para isso, ficar de olho em mais outra criança que não é seu filho e preparar lanche especial da tarde quando vc poderia muito bem estar brincando tranquila e feliz no facebook.

Ser mãe é querer mostrar alguma coisa nova que aprendeu para seu filho e ele não se interessar por isso. (Tipo eu querendo tocar piano para minha filhota).

Ser mãe é ter de esconder suas coisas mais legais das vistas infantis e perigosas de uma criança prestes a acabar com seus tesouros de uma vida... Ou de vários salários...

Ser mãe é ser "a exagerada" que mesmo quando não tem dever de casa, arruma um trabalhinho para ser feito.

Ser mãe é educar sabendo que você não será "a maneira" e que outros que nem se preocupam tanto com seus filhos serão eleitos heróis/ heroínas.

Ser mãe é viver tudo isso diariamente...

E mesmo sabendo de tudo isso, ficando aborrecida e morrendo de vontade de voltar a ser livre... 

Irá acordar às 6h, zonza  e descabelada para o café, longe das lentes e dos flashes. Maternidade não é propaganda (nem de comercial nem de autopromoção) e sim o que se faz na monótona rotina por querer o melhor para os pimpolhos

Ser mãe é AMAR na esperança de ser compreendido e agradecido só depois de uns 25 anos exercendo ofício da maternidade. O resto é firula! ;-)



Beeeeeeeeeeeeijo

5 comentários:

  1. que bom que me avisou.....
    beijos e lindo dia

    ResponderExcluir
  2. Perfeito!!!!
    E o mais interessante eh, que mesmo com tudo isso, amamos nossos pimpolhos!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi querida!
    Olha...concordo com tudo viu... Ser mãe pode ser maravilhoso, mas de glamouroso não tem nada! rsrrs
    Eu já morei na serra sim, em Cantagalo, cidadezinha próxima à Nova Friburgo, no alto da serra.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. e detalhe.. não adianta achar.. "quando crescer" passa PORQUE NÃO PASSA.. meu caçula ja vai fazer 15 anos e a mais velha vai fazer 19 e continuam dando trabalho igual...rs.. sem contar que no final de semana vai tanta gente posar na minha casa que quem é de fora nem sabe kem mora ali ou não, e ficam conversando e rindo até amanhecer o dia e VC NAO DESCANSA..rs.. sem contar que quando saem a noite voce não sossega a "bacurinha" enqto não escuta o portão abrir e ver seus filhos sãos e salvos, é não fazer o curso que vc quer porque tem que ajudar a filha a pagar a faculdade e não vai fazer nem quando ela terminar, porque quando ela terminar o caçula entra e quando ele terminar eu ja vou estar no fim da vida..kkkkk... só pra constar...rs.. bjokas lindeza

    ResponderExcluir
  5. Glamour não tem muito mesmo. Mas a ajuda do papai melhora as coisas bastante, viu?
    O bom é que filhos crescem e criam autonomia se temos a graça de ter filhos normais e saudáveis.
    E sua vó como está? Minha tia avó teve o mesmo problema semana passada :(
    bj

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário